Folclore

Folclore refere-se principalmente a diversos tipos de wihta dos quais histórias permaneceram bastante tempo após a conversão. O folclore com origens pós-conversão não possui grande interesse para nós.

Folclore encontrado em grande parte da Inglaterra


Boggart

Um boggart é, dependendo da tradição local ou regional, um espírito do lar ou um genius loci maléfico que habita campos, pântanos ou outras características topográficas. O boggart da casa faz com que as coisas desapareçam, o leite azeda e os cães fiquem coxos. Sempre malévolo, o boggart seguirá sua família onde quer que eles forem. No norte da Inglaterra, pelo menos, havia a crença de que o boggart nunca deveria ser nomeado, pois quando ele recebesse um nome, não seria racional nem persuadido, mas se tornaria incontrolável e destrutivo.

Brownie

Um brownie é um tipo de hob semelhante a um hobgoblin. Dizem que os brownies habitam as casas e ajudam nas tarefas ao redor da casa. No entanto, eles não gostam de ser vistos e só trabalham à noite, tradicionalmente em troca de pequenos presentes ou comida. Entre os alimentos, eles gostam especialmente de mingau e mel. Eles geralmente abandonam a casa se seus presentes são chamados de pagamentos, ou se os donos da casa abusam deles. Brownies fazem suas casas em uma parte não utilizada da habitação humana.

Cão Negro

Black dog, em inglês moderno. Dizem frequentemente estar associado ao Diabo e sua aparição era considerada um presságio de morte. Geralmente se supõe que seja maior do que um cão normal, e muitas vezes tem grandes olhos brilhantes. É uma característica comum das Ilhas Britânicas e do folclore do norte da Europa. Apesar de sua mescla com o cristianismo, a associação entre cães e o submundo dos mortos pré-data a conversão em muitas eras.

Dolly de Grãos

Corn Dolly, em inglês moderno. Antes da conversão, na cultura pagã europeia tradicional, acreditava-se que os espíritos dos grãos vivia entre a plantação e que a colheita os tornava efetivamente desabrigados. Entre os costumes ligados ao último feixe da colheita estavam formas ocas formadas a partir do último feixe de trigo ou outras culturas de cereais. Os espíritos dos grãos passariam o inverno nesta casa até que a "dolly de grãos" fosse lançado no primeiro sulco da nova estação. "Dolly" pode ser uma corrupção de "idol" ("ídolo") ou pode ter vindo diretamente da palavra grega eidolon (aparição); ou seja, "aquilo que representa outra coisa".

Dragões

Répteis alados gigantes que cospem fogo ou veneno, nada raramente associado a cavernas e tesouros. Existem muitas lendas de dragões na Inglaterra. Somerset e o nordeste são muito ricos.

Dweorgas

Veja o artigo principal.

Flibbertigibbet

Flibbertigibbet é uma palavra do inglês médio que se refere a uma pessoa volúvel ou caprichosa, geralmente uma mulher jovem. No uso moderno, é usado como uma gíria, especialmente em Yorkshire, para uma fofoqueira ou pessoa excessivamente falante.

Haveloc, o dano

[em breve]

Homem verde

Um Green Man é uma escultura ou outra representação de um rosto cercado por folhas ou feito delas. Ramos ou trepadeiras podem brotar da boca, narinas ou outras partes do rosto e estes rebentos podem dar flores ou frutos. Comumente usado como um ornamento arquitetônico decorativo, os Homens Verdes são muito encontrados em esculturas em edifícios seculares e eclesiásticos. "O Homem Verde" também é um nome popular para os pubs ingleses e várias interpretações do nome aparecem nos letreiros da pousada, que às vezes mostram uma figura completa em vez de apenas a cabeça. É interpretado principalmente como um símbolo de renascimento, representando o ciclo de crescimento a cada primavera. Alguns especulam que a mitologia do Homem Verde desenvolveu-se independentemente nas tradições de culturas antigas separadas e evoluiu para a grande variedade de exemplos encontrados ao longo da história.
 

Horas do sino

O termo chime hours (horas do sino) originou-se no norte da Inglaterra e refere-se a um dos vários mitos relacionados ao tempo do nascimento. Foi popularizado pela folclorista Ruth Tongue, que também cunhou os termos "chime child" ou "chime children". A ideia por trás desse tipo de folclore é que os indivíduos nascidos durante certas horas do dia ou da noite ganham habilidades especiais — embora o que esses tempos sejam parece ser disputado dependendo da fonte ou localização individual. Que habilidades que nascem nestes tempos também parecem variar drasticamente de fonte para fonte, falando de tudo, desde ser extraordinariamente perceptivo em relação aos animais até ser capaz de ver fantasmas. Há alegações dessas habilidades que em certa levaram a acusações de bruxaria. Diz-se também que, se as crianças nascidas nas horas do sino ou outros indivíduos dotados de similaridade fazem uso de suas habilidades por razões egoístas, e não para o benefício de outros, eles devem perecer “miseravelmente e espiritualmente”. Apesar de sua mescla com o cristianismo, é possível que seja reflexo de crenças mais antigas — ou ao menos adaptáveis ao paganismo moderno.

Lob

O demônio lubber, Lob, lubberkin, lurdane ou Lob Deita-Se-Ao-Fogo (Lie-By-The-Fire) é uma criatura lendária do folclore inglês que era similar em atributos ao "brownie". Ele é tipicamente descrito como um homem grande e peludo, com uma cauda, que realiza tarefas domésticas em troca de um pires de leite e um lugar em frente ao fogo. Uma história afirma que ele é o filho gigante de uma bruxa e do diabo.

Pedras de cobra

Acredita-se que pedras de cobras (adder stones, hag stones) tenham poderes mágicos como proteção contra doenças oculares ou feitiços malignos, prevenção de pesadelos, cura de tosse convulsa, a habilidade de enxergar através de enganações e disfarces de fadas ou bruxas se vistas no meio da pedra, e recuperação de picadas de cobra . De acordo com a concepção popular, uma verdadeira pedra de cobra flutuará na água. Existem três tradições quanto às origens das pedras de cobra. Uma delas sustenta que as pedras são a saliva endurecida de um grande número de serpentes se aglomerando juntas, sendo as perfurações causadas por suas línguas. O segundo afirma que uma pedra de cobra vem da cabeça de uma serpente ou é feita pela picada de um víbora. O terceiro é mais moderno (e muito mais fácil de alcançar). Ele detalha que a pedra pode ser qualquer rocha com um buraco perfurado no meio por água. Intervenção humana (isto é, direção da água ou colocação da pedra) não é permitida.

Pedras incontáveis

Countless stones, em inglês moderno. São um tema que aparece no folclore inglês e galês. É associado a vários monumentos megalíticos, incluindo os longos túmulos do Neolítico Inferior e os círculos de pedras do Neolítico Superior e da Idade do Bronze. O tema sustenta que um indivíduo tentando contar o número de pedras no monumento não poderá fazê-lo.

Povo habilidoso

Cunning folk, em inglês moderno, também conhecidos como curandeiros folclóricos (folk healers) ou (mais raramente) como bruxas brancas (white witches), são praticantes de medicina popular, magia popular e adivinhação no contexto das várias tradições do folclore na Europa cristã (pelo menos o século XV até pelo menos início do século XX). Todavia, existem registros da época anglo-saxã inglesa onde documentos que atestam a atividade carregam ligação com as crenças pagãs anteriores.

Quatro ventos

Mostrados em mapas antigos, geralmente são representados como rostos soprando o vento de suas bocas. Geralmente, existem 4 deles (Vento Norte, Vento Sul, Vento Leste e Vento Oeste), embora em alguns casos apenas 2 sejam mostrados e em outros a parte externa inteira do mapa tenha sido cercada por cabeças menores com 4 maiores.

Ylfe

Veja o artigo principal.

Ânglia Oriental

Tom Hickathrift